Suprema: uma história de coragem, empreendedorismo e crescimento

A história do associado da Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG, Fábio Carvalho Julidori, Santa Rita do Sapucaí/MG, serve de inspiração a quem deseja desenvolver o negócio

Aproveitar as oportunidades e encarar os desafios sem medo, foram os lemas de Fábio Carvalho Julidori, de Santa Rita do Sapucaí/MG. Há alguns anos, ele foi trabalhar na área técnica em uma fazenda, em Luís Eduardo Magalhães, no Oeste da Bahia. Depois, passou a atuar também na área comercial, comprando e vendendo soja e milho. Neste período, surgiu a oportunidade de mudar de vida, de cidade e de Estado, e ele não titubeou. Foi quando o atual sócio-proprietário da Suprema Indústria, Comércio e Transporte de Grãos, pela demanda, decidiu abrir sua própria empresa, onde reside atualmente, no Sul de Minas Gerais.

– Precisavam aqui de caroço de algodão e como a região de Luís Eduardo Magalhães era rica em produção de algodão, resolvi encarar. Desde então, alugamos um galpão em Santa Rita do Sapucaí, trouxemos a primeira carreta de caroço para fazer o processo todo aqui, inclusive o ensaque. Mais tarde, começamos a trabalhar também com farelo de soja e outros produtos. Então, fomos agregando o que conseguimos para buscar o crescimento da Suprema – conta Julidori.

Atualmente, a empresa atua no comércio e transporte de grãos, fazendo toda a logística, levando grãos do Oeste da Bahia, do Mato Grosso, de Goiás e do triângulo mineiro, para o Sul de Minas Gerais, e para os Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro. Além disso, está construindo seu próprio armazém e participando do processo de certificação para conseguir o Serviço de Inspeção Federal (SIF). Com isso, a ideia é produzir ração e, assim, diversificar e expandir o negócio.

A família

Ficar longe da esposa e do filho – que acabara de nascer – e permaneceram em Luís Eduardo Magalhães, foram as maiores dificuldades que Julidori encarou quando decidiu empreender em Minas Gerais. “Toda a família da Patrícia é de lá e, nos primeiros meses da Suprema, eu conseguia ir vê-los apenas a cada 15 ou 30 dias. Sentia muita falta deles e ficava bastante sozinho. Mesmo assim, não desisti de buscar o meu sonho de ter o meu empreendimento”, recorda.

Da mesma forma, quando sua esposa e o filho Gabriel decidiram ir morar em Santa Rita do Sapucaí, o sofrimento também esteve presente. “Toda minha família é da Bahia e ficar tão distante, foi bem complicado. Mas são escolhas que fizemos e ver a Suprema crescer nos dá muita alegria”, frisa a esposa.

O Sicredi

O empresário conhecia o sistema Sicredi, pois tinha conta, como pessoa física, na agência de Luís Eduardo Magalhães. “Quando vim para Minas, a agência já estava aberta e eu me interessei em atuar com a Cooperativa, porque conhecia a índole do Sicredi e sempre depositei confiança. Então, não tive nenhuma dúvida quando fomos abrir a conta da Suprema na agência de Santa Rita”, frisa o empresário.

Igualmente, o colaborador da Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG, Alisson Richter, argumenta que o associado por já ter um conhecimento sobre cooperativismo e ter sua família também atuante nesse modelo de negócio, não teve dúvidas e procurou a agência para associar a Suprema. “Logo começamos as movimentações de pagamentos e recebimentos da empresa. Hoje, a Suprema tem dois caminhões e está construindo um barracão para facilitar o trabalho da equipe e melhor atender os clientes. Por tudo isso, é extremamente gratificante para nós fazer parte do crescimento e do desenvolvimento dos nossos associados, através do apoio da Cooperativa”, relata o colaborador.

Veja também

Publicado em 16/09/2021 às 10:28

Produtor de café de Pedralva/MG inspira pela organização e empreendedorismo

Publicado em 02/09/2021 às 09:17

Empreendedorismo fortalecido na fé e na coragem

Publicado ontem às 16:02

Capitalismo Consciente em pauta no Sicredi