8 dicas para começar a investir

Quando pensamos em investir, é porque estabelecemos um objetivo, e é preciso clareza e dedicação para conseguir alcançá-lo.
Separamos 8 dicas para ajudar você que quer realizar um investimento.

1. Tenha objetivos

Somos programados pela motivação, ou seja, precisamos de algo que nos motive para conseguir algo importante.

Anote todos os seus desejos, objetivos e sonhos que almeja conquistar. Pense no curto, médio e longo prazo. Tudo que você listou, de uma forma ou de outra, necessita de dinheiro para fazer acontecer. Agora, você já sabe para que você deve começar a investir!

2. Planeje sua vida financeira

De nada adianta você querer começar a guardar dinheiro se você não tem a dimensão do todo. Com seus objetivos definidos, é preciso olhar para o seu planejamento financeiro pessoal e familiar.

Comece a anotar todos as suas receitas e despesas, por categorias (alimentação, vestuário, carro, casa, presentes, etc), para dominar o seu dinheiro. Assim, você conseguirá ter uma visão de onde e para onde seu dinheiro está indo.

Além disso, é importante que você tenha um orçamento prévio de todas as suas receitas e despesas, assim você terá um maior controle de todos os seus gastos.

3. Defina um valor para investir

Conhecendo o seu cenário e dominando o seu planejamento financeiro, você precisa definir uma porcentagem para incluir em suas despesas na categoria “investimentos”. Nada de querer guardar o que sobra, pois nunca irá sobrar. Já programe um valor fixo para separar no dia que você recebe sua principal receita, assim seus objetivos e sonhos não serão adiados.

Estudiosos da área apontam uma porcentagem mínima de 30% da receita para investimentos, mas isso irá depender do que você pode comprometer. Mas se hoje você não consegue, busque novas receitas ou diminuir ainda mais seus gastos para aumentar a porcentagem de investimento.

4. Tenha uma reserva de emergência

Por mais que você tenha tudo planejado na ponta do lápis, há acontecimentos que não são planejados. Seja um problema de saúde, um dano material ou a perda do emprego, ninguém sabe a hora que vai precisar de um dinheiro extra. Para isso, além do valor que você irá guardar mensalmente, organize-se para separar uma reserva de emergência, caso não tenha. Essa reserva deve ser de, no mínimo, o equivalente a 6 meses multiplicados ao seu gasto fixo mensal.

5. Estude sobre finanças

Além de ter uma educação financeira equilibrada com as suas finanças pessoais, é importante entender do mercado financeiro antes de começar a investir. Estar atento às novidades e aos principais índices, é essencial para quem quer aprimorar seus conhecimentos. Quando falamos em investir, a frase “conhecimento é dinheiro” nunca foi tão relevante, pois quanto mais você conhecer, mais terá subsídios para entender e diversificar seus investimentos. Fica a dica de alguns sites renomados no mercado para você começar a acompanhar:

www.istoedinheiro.com.br 

www.forbes.com.br

www.infomoney.com.br

www.valor.globo.com

6. Conheça o seu perfil investidor

O perfil de investidor (suitability), é uma análise que identifica suas preferências e expectativas com relação aos investimentos. Ao responder perguntas básicas, você já consegue ter a classificação do seu perfil, como conservador, moderado ou arrojado. No site abaixo, você consegue fazer o teste e, no final, o panorama apresenta sugestões de investimento adequadas ao seu perfil. Assim, você fica mais seguro no momento de investir!

www.sicredi.com.br/sites/investindojuntos

7. Conheça os tipos de investimentos

Se você está lendo esse texto, é porque já tem interesse sobre o assunto. Ótimo passo! Mas vamos lá, para começar a investir é importante que você escolha uma instituição financeira sólida e segura e que te ofereça uma diversificação de produtos de investimento, que se adaptem ao seu perfil e a suas necessidades.

Mas lembre-se, quanto mais arriscado for o investimento, maior é o retorno que ele dará para você. E, quanto menos arriscado, menor o retorno. Fica a dica de investimentos por categorias/tipos:

  • Investimentos Conservadores: renda fixa, poupança, CDB, CDI (fundos indexados).
  • Investimentos Moderados: fundos que tentam superar a rentabilidade do CDI.
  • Investimentos Arriscados: ações, fundos que buscam superar o Ibovespa.

8. Diversifique os seus investimentos

Diversificar significa evitar que sua rentabilidade esteja em apenas um segmento, mercado ou indexador, ou seja, se você garantir seu investimento em vários mercados você pode garantir uma rentabilidade melhor e mais segura. A diversificação de investimentos também garante novas oportunidades. E o mais importante: estar sempre acompanhando!

Nas agências Sicredi você encontra colaboradores capacitados para serem seus consultores de investimento, sendo aptos a sanarem todas as suas dúvidas.

Quer ficar atento a mais dicas de investimento e do mercado financeiro? Acompanhe as redes sociais da Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG.

Veja também

PIX

Publicado em 13/10/2020 às 10:57

Tudo o que você precisa saber sobre o PIX

Mão segurando celular com aplicativo do Sicredi aberto

Publicado em 28/08/2020 às 16:14

5 dicas para ganhar tempo com o Aplicativo do Sicredi

Cesar Gioda Bochi – Diretor Executivo de Administração do Sicredi

Publicado em 14/08/2020 às 11:02

O papel da instituição financeira cooperativa no desenvolvimento econômico e social das …

Quer saber mais?