“Para ter sucessão familiar, os pais devem dar oportunidades aos filhos”

Família de Taquaruçu do Sul/RS, garante a continuidade dos trabalhos na propriedade devido à confiança que Élio Batalin depositou no seu primogênito

Com tantas possibilidades que as pessoas têm atualmente, não é uma tarefa fácil fazer com que os filhos permaneçam no meio rural. Apesar disso, o sonho do pai, Élio Batalin, morador da linha Sete de Setembro, em Taquaruçu do Sul/RS, se concretizou. Ele conseguiu manter o seu primogênito na propriedade. Élio casou com Ivete e há 46 anos reside na localidade, onde tiveram dois filhos – Márcio e Marcelo. Desde pequenos, os dois ajudavam nos afazeres e desenvolveram o gosto pelo trabalho no campo. Ambos fizeram o ensino médio, casaram e se mantêm no interior atualmente.

A vida de Élio não foi fácil. Começou praticamente do zero, mas sempre trabalhando bastante e confiando na família. Aos poucos adquiriu seus primeiros hectares, foi plantando grãos e comprando vacas. Hoje, a família possui cerca de 50 vacas em lactação, com bom retorno financeiro, que, segundo Élio, proporciona uma vida com muita qualidade.

– Para ter sucessão familiar, os pais devem dar oportunidades aos filhos, acreditando que eles são capazes e ensinando-os, desde crianças, a gostarem do que fazem. Eu confiei no Márcio e no Marcelo e sempre os incentivei a participarem das decisões. Isso deu certo, pois ambos continuam na agricultura o que me deixa muito satisfeito. Marcelo, após o casamento em 2011, foi morar em Vista Alegre/RS. Com a volta do Márcio, há 15 anos, a propriedade cresceu bastante e o retorno financeiro, após os investimentos, também. Mas os méritos deste avanço são dele – disse o pai.

- Sempre gostei de animais, especialmente de vacas. Também queria ficar perto do pai e da mãe e vi na propriedade a possibilidade de crescimento. Assim, começamos a investir e está dando certo. O pai é orgulho e exemplo na minha vida, começou do nada, foi trabalhando e nos ajudando a evoluirmos. Conversamos bastante e a experiência dele sempre nos orienta no melhor caminho. Da mesma forma estou agindo com o meu filho, 14 anos, que deverá ficar conosco também no futuro, fazendo mais uma sucessão, pois demostra o gosto em tudo o que faz na agricultura. Acredito que não tem lugar que vamos viver bem e receber o que ganhamos aqui – frisa Márcio.

O Sicredi

A família sempre foi parceira do Sicredi, tanto que Élio foi coordenador de núcleo por muitos anos e, atualmente, Márcio atua nesta função. “Confiamos muito na Cooperativa e ela tem muito mérito do que temos hoje, pois sempre nos apoiou nos investimentos. Por isso, o Sicredi representa muito para nós, porque não teríamos condições de fazer o que conseguimos sem esta parceria”, salienta Márcio.

Da mesma maneira, o gerente da agência, Juciani Carlos Albarello, diz que é um orgulho saber que a instituição faz parte desta história de sucesso no meio rural. “Oferecendo soluções financeiras que agregam renda e a melhoria da qualidade de vida, colocamos em prática a nossa missão enquanto cooperativa e ficamos felizes de ver o avanço na propriedade. “Além disso, esta forma de sucessão serve de modelo para outras pessoas também. Eles são uma família que se doa muito ao cooperativismo, à comunidade e isso nos serve de inspiração”, finaliza Albarello.

Veja também

Publicado em 16/09/2021 às 10:28

Produtor de café de Pedralva/MG inspira pela organização e empreendedorismo

Publicado em 02/09/2021 às 09:17

Empreendedorismo fortalecido na fé e na coragem

Publicado ontem às 16:02

Capitalismo Consciente em pauta no Sicredi